Após desistência de países, Brasil será sede da Copa América 2021

Após as desistências de Argentina e Colômbia, sedes originais da competição em virtude da pandemia do coronavírus e crise política, a Conmebol em parceria com a CBF e autorização do governo federal anunciou nesta segunda (31-maio) que a Copa América de 2021 será disputada no Brasil.

O comunicado da Conmebol, diz que as datas do torneio entre 13 de junho a 10 de julho estão mantidas, mas que as sedes serão anunciadas ao longo dia.

A realização do torneio no Brasil estava descartada no início da reunião emergencial que a Conmebol convocou para a manhã desta segunda, mas que ao longo do encontro foi mencionado que o país tem estádios de Copa do Mundo que não são utilizados e que existe a ‘expertise’ após a realização da última edição do torneio, em 2019.


A princípio, um grupo deve jogar no estádio Mané Garrincha, em Brasília, e na Arena da Amazônia, em Manaus. O outro deve ter como sedes a Arena das Dunas, em Natal, e a Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata, região metropolitana de Recife.

Informações de fonte esportivas confirmam que a Conmebol negocia a presença de público nos estádios durante a competição, mas ainda não há um acordo sobre a questão.

Na noite de domingo (30), a Conmebol anunciou que tinha suspendido a competição após a Argentina afirmar que não poderia receber mais o torneio por causa da crescente pandemia do coronavírus. A Colômbia, que seria a outra sede, foi retirada no dia 20, quando a entidade sul-americana decidiu que o país, agitado por protestos sociais há semanas, não reunia condições de receber as partidas.

Três países tinham feito propostas para sediar a competição após a saída da Colômbia. A principal era do Chile, que visava dividir as honras com a Argentina, mas que acabou perdendo força após a saída do país vizinho. Os governos de Equador e Venezuela também apresentaram planos que não obtiveram êxito.