Veja quem são os atletas que receberam mais de US$ 1 bilhão no esporte

Postado por Redação em: 05 de setembro de 2022

Os sete atletas da lista (que inclui jogadores de futebol, tênis, basquete e golfe) transcenderam os esportes que respectivamente dominam e se tornaram ícones globais, alcançando oportunidades ainda mais lucrativas fora de seus campos de jogo.

O maior ganhador de todos, Tiger Woods, por exemplo, fez menos de 10% de sua carreira inigualável de US$ 1,7 bilhão com ganhos de golfe, com o restante vindo de enormes acordos de patrocínio que ele manteve ao longo de uma carreira de 27 anos.

Woods é um bilionário em grande parte graças aos seus recordes. Assim como LeBron James, que arrecadou uma fortuna ao longo da vida e também ganhou muito dinheiro com investimentos inteligentes. Mas eles são os únicos entre esses ganhadores de bilhões de dólares a cruzar esse limite. Isso porque os ganhos são registrados antes dos impostos e outras despesas.

Ainda assim, a existência de atletas bilionários é um fenômeno novo, possibilitado pelo alcance cada vez maior da mídia moderna. À medida que a notoriedade internacional dos melhores atletas aumenta, também aumenta o tamanho de seus acordos de patrocínio.

O suposto contrato de US$ 200 milhões de Phil Mickelson com o LIV Golf Tour, apoiado pela Arábia Saudita, é o mais recente e maior exemplo do valor que ligas esportivas, marcas e até fundos soberanos veem ao se alinharem com os melhores atletas do mundo.

Se confirmado o contrato com o LIV Golf, o esportista irá se juntar a um dos clubes mais exclusivos de todos os esportes, o de atletas que ganharam mais de US$ 1 bilhão (R$ 5,1 bi) em suas carreiras.


Maiores ganhos de todos os tempos

Tiger Woods – Golfe: US$ 1,7 bilhão (R$ 8,6 bi)
Woods, de 46 anos, foi em seu auge o atleta mais prolífico da história, arrecadando mais de US$ 100 milhões por ano e liderando a lista anual da Forbes dos atletas mais bem pagos do mundo por uma década seguida.

Cristiano Ronaldo – futebol: US$ 1,2 bilhão (R$ 6,1 bi)
O jogador português possui mais de 690 milhões de seguidores em todas as plataformas de mídia social, o que lhe permite negociar taxas altíssimas de patrocinadores como Nike, Herbalife e Shampoo Clear. Ele é um investidor nos restaurantes Tatel e no próximo aplicativo da comunidade de futebol ZujuGP.


LeBron James – basquete: US$ 1,1 bilhão (R$ 5,6 bi)
Além de seu contrato vitalício com a Nike e um contrato de US$ 41,5 milhões com o Los Angeles Lakers, a lenda do basquete de 37 anos vendeu uma participação minoritária significativa em sua produtora, SpringHill, em outubro, com uma avaliação de cerca de US$ 725 milhões. Ele também assumiu participações acionárias em várias das empresas que endossou, incluindo a companhia de fitness domiciliar Tonal, todas somando um patrimônio líquido de US$ 1 bilhão.

Lionel Messi – futebol: US$ 1,1 bilhão (R$ 5,6 bi)
O atacante argentino foi o atleta mais bem pago do mundo nos últimos 12 meses, apesar de um corte salarial significativo quando se mudou do Barcelona para o PSG. Ele também assinou um acordo de US$ 20 milhões com o aplicativo de engajamento de fãs Socios para fechar acordos de longo prazo com Adidas, Budweiser, PepsiCo e Hard Rock International.


Roger Federer – tênis: US$ 1,0 bilhão (R$ 5,1 bi)
Apesar de não disputar um torneio desde Wimbledon, em julho passado, o tenista suíço de 40 anos ganhou mais dinheiro nos últimos 12 meses fora de campo (US$ 90 milhões) do que qualquer outro atleta do mundo. Ele é um dos principais embaixadores da Rolex e da Uniqlo e tem um investimento considerável na crescente marca de calçados On.

Floyd Mayweather – boxe: US$ 1,0 bilhão (R$ 5,1 bi)
Em 2018, Mayweather protagonizou o maior pagamento individual da história do esporte, quando arrecadou US$ 275 milhões em sua luta com Conor McGregor. Sua decisão de administrar sua própria empresa de promoção de suas lutas o levou a receber uma parte do pay-per-view, além de patrocínios e acordos internacionais de TV para cada uma das quatro lutas mais lucrativas da história do boxe.