Conheça os 10 países mais vencedores na Fórmula 1; veja os países e pilotos

Com inúmeros pilotos de diferentes países vencedores na história da Fórmula 1, conheça os dez países com maior número de vitórias na história desde 1950. Com a vitória de Lewis Hamilton no GP do Barein EM 2020, a Grã-Bretanha está muito próxima de ser o primeiro país a alcançar a 300ª vitória na categoria.

Há os que não concordam com o critério de se estabelecer a Grã-Bretanha como país, em vez de desmembrá-la em Inglaterra, Escócia, Irlanda do Norte e País de Gales. No entanto, a F1 sempre se refere ao país como Grã-Bretanha, com isso a junção dos países. Se fosse contado apenas as vitórias de pilotos nascidos na Inglaterra, está ainda seria a recordista absoluta de vitórias, com 226.


10º lugar – Estados Unidos – 33 vitórias
Os Estados Unidos tiveram essa estatística “turbinada” pelo fato de que as 500 Milhas de Indianápolis faziam parte do calendário da F1 nos anos 1950, mesmo quase sem nenhum piloto de fora do país participar. Com a Indy 500 fora oficialmente da categoria, apenas quatro americanos venceram: Phil Hill, campeão em 1961, Dan Gurney, Peter Revson e Mario Andretti, campeão de 1978 e recordista entre os pilotos do país, com 12 vitórias.

9º lugar – Argentina – 38 vitórias
A Argentina tem uma situação curiosa, pois teve apenas três pilotos vencendo corridas na F1: Froilán González, Juan Manuel Fangio e Carlos Reutemann. Só que Fangio foi um dos maiores pilotos da história e, sozinho, conquistou 24 das 38 vitórias argentinas, com duas para González e 12 para Reutemann. A Argentina não tem um piloto desde Gastón Mazzacane, em 2001.

8º lugar – Áustria – 41 vitórias
A Áustria foi outro país com poucos pilotos vencedores na F1, apenas três: Jochen Rindt, Niki Lauda e Gerhard Berger. Rindt conquistou cinco das suas seis vitórias em 1970, quando foi campeão póstumo. Já Lauda foi consagrado um dos maiores de todos os tempos e venceu por 25 vezes além de ser tricampeão. Depois dele, surgiu Gerhard Berger, dono de dez vitórias. A Áustria é outro país sem representantes há bastante tempo: desde 2010, com Christian Klien.

7º lugar – Austrália – 42 vitórias
Da Austrália foram quatro pilotos a vencerem na F1, com Jack Brabham (14), Alan Jones (12), Mark Webber (nove) e Daniel Ricciardo (sete). Destes, Brabham (três) e Jones (um) conquistaram títulos mundiais. Desde 2002, ano de estreia de Webber, o país tem pelo menos um representante no grid.

6º lugar – Itália – 43 vitórias
A Itália conquistou metade das suas vitórias nos primeiros 15 anos de Fórmula 1, com destaque para seus únicos campeões mundiais, Giuseppe Farina e Alberto Ascari. Nos anos 1980, o país teve dezenas de representantes, mas passou a vencer apenas esporadicamente. A Itália não ganha nenhum GP: desde Giancarlo Fisichella na Malásia, em 2006.

5º lugar – Finlândia – 56 vitórias
A Finlândia é outro país com poucos vencedores na F1: cinco, contando três campeões, Keke Rosberg, Mika Hakkinen e Kimi Raikkonen, além de Valtteri Bottas e Heikki Kovalainen, este com uma vitória apenas. Rosberg até venceu “pouco”, cinco vezes, enquanto Bottas conquistou nove. Já Hakkinen tem 20 vitórias e o recordista Raikkonen, 21.

4º lugar – França – 80 vitórias
A França teve um “boom” de pilotos na F1 na virada dos anos 1970 para os 1980, mas nenhum deles se destacou tanto quanto Alain Prost. O tetracampeão foi recordista de vitórias de 1987 a 2001 e simplesmente é dono de 51 das 80 vitórias do país na categoria. A França enfrentou um grande jejum de vitórias, mas recentemente Pierre Gasly venceu em Monza.

3º lugar – Brasil – 101 vitórias
O Brasil teve seu auge na F1 entre 1970 e 1994, com três campeões mundiais vencendo GPs: Emerson Fittipaldi (14), Nelson Piquet (23) e Ayrton Senna (41). Nos últimos 20 anos, Felipe Massa e Rubens Barrichello venceram 11 GPs cada um e foram vice-campeões. Além deles, José Carlos Pace aparece com uma vitória. O Brasil não tem representantes desde o fim de 2017.

2º lugar – Alemanha – 179 vitórias
De 1950 a 1992, a Alemanha era coadjuvante na F1, tendo alcançado apenas três vitórias, com Wolfgang von Trips (duas) e Jochen Mass (uma). Mas bastou Michael Schumacher vencer pela primeira vez, que o país se destacou imediatamente. O próprio Schumacher terminou sua carreira com 91 vitórias, além de outros dois campeões, Sebastian Vettel (53) e Nico Rosberg (23). Ralf Schumacher (6) e Heinz-Harald Frentzen (3) também venceram.

1º lugar – Grã-Bretanha – 299 vitórias
Nação mais dedicada ao esporte a motor no mundo, a Grã-Bretanha naturalmente é a líder no número de vitórias na Fórmula 1. Simplesmente 19 pilotos de lá venceram pelo menos um GP. O destaque absoluto é Lewis Hamilton, novo recordista de vitórias, com 95. Nigel Mansell (31), Jackie Stewart (27) e Jim Clark (25) também estão entre os dez maiores vencedores de todos os tempos.